Bem vindo ao Apartis

Bem vindo ao Apartis

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

2011 - O Ano em análise!

      Com a vinda do mês de Dezembro, chega o já habitual encontro/almoço de Natal dos membros do Apartis. Tendo sido o primeiro em 2009 comemorado com um jantar, iniciando-se em 2010 os almoços de Natal Apartis. Encontros onde se marca a época natalícia, confraternizando-se, valorizando acima de tudo a grande importância da amizade existente entre os seus membros e aproveitando a fazer-se um balanço das actividades realizadas através da análise dos projectos concebidos: a participação do Apartis com a execução de um trabalho colectivo exposto na mostra “Industrie et Culture” (mail art) na Bélgica; a organização e participação do Apartis das chamadas “Terças Tertulianas” que se realizaram no Cinema City Classic Alvalade em Lisboa, com um vasto número de artistas convidados pelo grupo; a realização da exposição de desenho, pintura e fotografia do Apartis também aí apresentada; a organização, realização e participação do Apartis na I Exposição Internacional de Arte Postal levada a cabo na Galeria de Arte do Centro Europeu de Línguas em Lisboa inserida no Projecto “In P.U.T.” (Innovative Profile For Updated Training) a convite da Cel Lisboa (Centro Europeu de Línguas); a importância do Apartis se ter tornado membro do IUOMA – International Union of Mail Artists.
      Paralelamente foi sendo desenvolvido no facebook, um trabalho não só de divulgação das actividades que o grupo vinha a realizar ao longo do ano, como também a contribuir, embora muito modestamente,  com a divulgação de alguma cultura quer nacional como estrangeira.
      No blog do Apartis, foram reeditados os artigos de colaboradores do grupo, anteriormente publicados no antigo blog do grupo já desactivado, por se acharem de boa qualidade e de importância devida. Assim como, mensalmente a divulgação de cada um dos seus membros, publicando-se uma foto e uma pequena biografia, tornando público o perfil dos mesmos.
      Finalmente, o lamento e a solidariedade possível para com o amigo e membro do grupo Mateus Beleza a lutar contra uma doença grave, acreditando no entanto na sua recuperação, desejando-lhe rápidas e acentuadas melhoras.
      Somos Apartis um grupo português, estamos sempre com a cultura Nacional e Universal sem pretenciosísmos  a qualquer tipo de “ismos” existentes.
      Desejamos a todos quantos nos seguem, um Bom e Feliz Ano de 2012.


APARTIS

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

TERESA MAIA

Teresa Maia

Teresa Maia, nasceu a 28 de Abril de 1955 em Lisboa, possui o curso de Pintura e Artes Visuais da então Escola de Artes Decorativas António Arroio. Frequentou o curso de Licenciatura em Educação Visual e Educação Tecnológica na Uniersidade Aberta. Tem exercido a actividade docente desde 1980, leccionando as disciplinas de Desenho, Educação Visual, Artes Visuais, Educação Visual e Tecnológica, e "Oficinas de Arte" como disciplina extra curricular. Foi professora seleccionada pelo Ministério da Educação, para a elaboração das provas de exame a nível Nacional das disciplinas de Desenho e Educação Visual no ano de 1986. Em paralelo fez trabalho de desenhadora Têxtil destinado a tecidos de decoração, e moda Bébé, tendo desenvolvido trabalho nas áreas de Pintura, Escultura, Pintura em azulejo, e cerâmica. Desde muito cedo sente o chamamento pela pintura, poesia e pela arte em geral. Escreve poesia, e publica pela primeira vez em 2009, nas Antologias da Poiesis da Editorial Minerva. Juntamente com outros artistas - Plásticos funda o APARTIS- Movimento Multicultural de Artistas, em Lisboa Julho de 2009. Participa em várias exposições: Externato Paula Vicente, Colectiva Lisboa 2009; Espaço/Galeria Restaurante 7 à mesa "7 artistas 7 olhares", colectiva Lisboa 2009; I Exposição /instalação Itenerante em Lisboa, Sacavém e Póvoa de Santa Íria, colectiva 2009;"Palavra Pintada com música"performance, Poesia e Pintura Apartis, Lisboa 2010 no Tempero Fino; Partcipação Apartis -"Notre Histoire" exposição Internacional de arte postal, no Centre Culturel Municipal de CHAUNI França2010; "Impesar" Galeria de Arte Patricia Munhôz Barcelona ESPANHA  2010; "Nuestro Planeta" Aliansa Colombo Francesca Pereira, Fundacion Universitária Del Ária Andrim, COLOMBIA 2010; 1ª Salão de Artes Plásticas de Outono, S. Francisco APARTIS 2010; 14ºFestival da Canção Infanto Juvenil de Palmela," Omenagem ao Palhaço", no Cine Teatro S, João 2010; Canha D' Artes, Museu Etnográfico de CANHA 2010;Bianal da Vidigueira 2010; Exposição "Arte Fantástica" Amadora 2010; Exposição na Câmara Municipal de Alcochete, Festa do Cavalo, "Alcachete" 2010; "Bismark" Alemanha 2010; "o que pensa o médico" Holanda 2010; "A Paisagem" Venezuela 2010; " SENDA" Espanha 2010; "OPEN" Malásia 2010; Livre Polónia 2010; "O Poder" Brazil 2010; Livre colagens, Belgica 2010; "O mundo sem água" França 2010; "El Sombrero" Argentina 2010; "Earth" Brazil 2010; "Empesar" Espanha 2010; "Chile" Chile 2010; " EL Ojo" Argentina 2010;  Livre Venezuela 2010; Exposição CERCIS S. Francisco 2010; "Industria e Cultura" Bélgica 2011; " O Desejo para o nosso Mundo" Argentina 2011; "Laços de amizade em todas as línguas" Portugal 2011; "Combóio amarelo" Roménia2011; "Longa distância vem execução" Russia 2011; "Os Livros Brazil 2011; " As Melodiosas Cores da Palavra" Recital de Poesia APARTIS, Cinema Citty Classic Alvalade Lisboa 2011; Exposição APARTIS Pintura Desenho e Fotografia, Cinema CittY Alvalade Lisboa 2011; " Industri et Culture" Belgica 2011 Arte Postal APARTIS; I Exposição Internacional de Arte Postal APARTIS, "Laços de Amizade em todas as Línguas" na Galeria do Centro Europeu de Línguas de Lisboa 2011.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

CONVITE PARA A SEGUNDA EDIÇÃO DA Iª EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE ARTE POSTAL APARTIS

   Conforme se noticiou no nosso artigo aqui publicado no nosso blog no passado dia 9 de Outubro do corrente ano, com o nome SEGUNDA EDIÇÃO da Iª Exposição Internacional de Arte Postal Apartis e ao grande sucesso alcançado, o Centro Europeu de Línguas e o Apartis acordaram de facto a realização desta Segunda Edição a levar a cabo em Março de 2012 com data a anunciar. Igualmente integrado no Projecto Europeu INPUT com parceiros em Portugal,Itália,França,Reino Unido,Polónia e Alemanha, o Apartis CONVIDA a participarem enviando-nos o vosso trabalho dentro do mesmo âmbito estabelecido: Tema “Laços de Amizade...em todas as línguas”; técnicas: desenho,pintura,colagem e fotografia; formato: 10cm X 15cm ; endereçado para Apartis  a/c  Pais Garcia  Rua Capitão Roby, 52  2º Esq.  1900-113 Lisboa – Portugal.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

MIGUEL PAIS GARCIA

Miguel Pais Garcia

Nasceu em Lisboa no ano de 1996. A fotografia é uma das várias formas de Arte com que se identifica. Os temas fotografados surgem no acaso e na espontaneidade da observação.
Participou em 2006 com pintura numa Exposição Colectiva, no Jardim Constantino em Lisboa, organizada pelo Colégio Sá de Miranda, o qual frequentava, com o apoio da Junta de Freguesia de S. Jorge de Arroios.
Participou no 3º Concurso Poético do Cancioneiro Infanto-Juvenil para a Língua Portuguesa – Edições Piaget, onde foi agraciado com um prémio de participação.

Entra para o Apartis – Movimento Multicultural de Artistas em finais de 2010.
Participou nas seguintes Exposições:
·       Junta de Freguesia de S.Francisco no “1ºSalão de Artes Plásticas de Outono”S.Francisco – Alcochete 2010.
·       Museu Etnográfico de Canha “Canha D’Artes” em Canha 2010.
·       Junta de Freguesia de S.Francisco “Enlaces” Apartis/Cercima,S.Francisco – Alcochete 2010.
·      Cinema City Classic Alvalade “Exposição Apartis de Desenho,Pintura e Fotografia” em Lisboa 2011.
·    Participa no trabalho colectivo do Apartis de técnica-mista com fotografia na “Industrie et Culture”(Mail Art)         Bélgica 2011.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

LAÇOS DE AMIZADE...EM TODAS AS LÍNGUAS

Laços de Amizade...em todas as Línguas

     É o tema da I Exposição Internacional de Arte Postal Apartis a decorrer na Galeria de Arte do Centro Europeu de Línguas em Lisboa – Portugal, desde 27 de Outubro até 30 de Novembro de 2011.
      Esta iniciativa planificada e organizada pelo Apartis e inserida, pelo Centro Europeu de Línguas, no âmbito do Projecto IN. P.U.T. (Innovative Profile For Updated Training), contou desde logo com o grande apoio de Pilar Pantoja Fundadora e Directora Executiva desta instituição, assim como também de Paula Cipriano, às quais o grupo Apartis muito agradece.
      Fazem parte desta exposição os artistas representantes de Portugal, Espanha, França, Holanda, Itália, República Checa, U.S.A., Uruguai, Argentina, Porto Rico, Brasil e Venezuela: Giovanni e Renata Strada, Célia Ribeiro, Sabela Baña, Eni Ilis, Clemente Padin, Teresa Maia, Daniel de Cullá, E Ambassade D’ Utopia, Amie, Domenico Severino, Sílvia Marieta, Constança Lucas, Cyntiamilli Santillan, Vera Simon, John M. Bennett, Maria Isaac, Lurdes Sousa, Maria Teresa, -guroga, Luis Ismael Valera Rodríguez, Eliso Ignacio Silva, Lugardis Quiñonez, Pais Garcia, Maria Darmeli Araujo, Mateus Beleza, Ana Maria Austin, Alexandre Gomes Vilas Boas, Miguel Pais Garcia, Roberto Rios, Hilda Paz, Sofia Pais Garcia, Lais Castro, Ana Lopes Fernandes, Vitor Paiva, Susahulia Morales, Sonia Albuquerque, Thomás Sládecek, Ricardina Silva, Ana Garcia, Marielle Conte, Gerson Ipirajá, Marta Águeda Pires, Nini Pereira, Gigi Melo Valente, Célia Amado, Wilson António Vieira, Susana Paulino, Patricia Lilian, Karollina e Argenis G. Torrealba C.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

SUSANA PAULINO

Susana Paulino

Nasceu em Lisboa em 1976.

Entra para o Apartis – Movimento Multicultural de Artistas em meados de 2010. Participou nas seguintes exposições:
Participou nas seguintes Exposições:
·         Junta de Freguesia de S.Francisco no “1ºSalão de Artes Plásticas de Outono”S.Francisco – Alcochete 2010.
·         Museu Etnográfico de Canha “Canha D’Artes” em Canha 2010.
·         Junta de Freguesia de S.Francisco “Enlaces” Apartis/Cercima,S.Francisco – Alcochete 2010.
·         Cinema City Classic Alvalade “Exposição Apartis de Desenho,Pintura e Fotografia” em Lisboa 2011.
·         Participa no trabalho colectivo do Apartis de técnica-mista com fotografia na “Industrie et Culture”(Mail Art) Bélgica 2011.

domingo, 9 de outubro de 2011

SEGUNDA EDIÇÃO DA Iª EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE ARTE POSTAL APARTIS


Dada a grande adesão por parte de artistas de vários países na Iª Exposição Internacional de Arte Postal Apartis a realizar no próximo dia 27 de Outubro, resolveu-se abrir uma segunda edição a realizar em Março de 2012.

A próxima exposição será integrada no ciclo de actividades do Projecto Europeu IN.PUT com parceiros em Portugal, Itália, França, Reino Unido, Polónia e Alemanha e que estarão presentes na inauguração da mesma. Deste modo estamos a partir deste momento a receber novos trabalhos a incluir na próxima edição desta exposição

sábado, 24 de setembro de 2011

VITOR PAIVA

Vitor Paiva

Nasceu em Janeiro de 1959, em Algés. Possui o 10º ano.
Trabalhou em Artes Gráficas e posteriormente entrou para o Jornal Expresso, onde exerceu várias actividades, tais como: fotografia, vídeo, operador de câmara, etc..., actualmente é jornalista no mesmo Jornal.
Entra para o Apartis – Movimento Multicultural de Artistas em finais de 2011.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

I Exposição Internacional de Arte Postal Apartis - 2011

Depois de findo o prazo da entrega dos trabalhos para a I Exposição Internacional de Arte Postal Apartis 2011, que terminou no dia 31 de Agosto de 2011 -  recebendo, porém, todos os trabalhos que nos foram enviados em Agosto, mas que por eventuais atrazos dos correios só nos tem chegado no decorrer do corrente mês de Setembro - anunciamos estar assim concluída a 1ª parte deste evento (Recepção das obras). Os demais que chegarem a partir de 15 de Setembro, serão considerados extra-catálogo.
Desde já salientamos que o saldo foi positivo, contando-se com mais de meia centena de trabalhos que nos foram enviados por inúmeros artistas oriundos de diversos cantos do mundo.
Inicia-se agora de imediato a 2ª parte deste nosso trabalho, começando por fazer-se uma análise individual das obras recebidas, seguido de uma planificação e respectiva montagem da exposição na Galeria de Arte do Centro Europeu de Línguas que irá decorrer de 27 de Outubro a 30 de Novembro de 2011, nas suas instalações na Avenida Padre Manuel da Nóbrega 3-A, em Lisboa – Portugal, cuja inauguração está prevista para as 19 horas.
Registamos neste espaço, o nosso agradecimento e a nossa gratidão (de todos os 12 membros do Apartis) à pessoa de PILAR PANTOJA Fundadora e Directora Executiva do Centro Europeu de Línguas, pela sua enorme simpatia, disponibilidade, apoio e incentivo que sempre esteve presente desde a primeira hora, nos primeiros contactos estabelecidos e nas reuniões posteriores que foram realizadas, contribuindo assim para a concretização desta mostra internacional de mail art, arte correo, arte postal que o Apartis irá apresentar neste final do ano 2011 em Lisboa – Portugal.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

MARIA ISAAC


Maria Isaac

Nasceu em Setembro de 1964 na cidade de Lisboa. Possui a Licenciatura em Direcção Pedagógica e Admnistração Escolar da E.S.E. Jean Piaget de Almada. Autodidacta. Começou por fazer fotografia esporadicamente  captando cores e  formas da natureza, dando ênfase ao promenor, manifestando preocupação estética, descobrindo uma nova forma de olhar no mundo que a rodeia.
Entra para o Apartis – Movimento Multicultural de Artistas em finais de 2010.


Participou nas seguintes Exposições:

   ·         Junta de Freguesia de S.Francisco no “1ºSalão de Artes Plásticas de Outono”S.Francisco – Alcochete 2010.
      ·         Museu Etnográfico de Canha “Canha D’Artes” em Canha 2010.
·        14º Festival da Canção Infanto - Juvenil de Palmela no Cine Teatro S. João – Palmela 2010.

     ·         Junta de Freguesia de S.Francisco “Enlaces” Apartis/Cercima,S.Francisco – Alcochete 2010.
·          El Mundo del Paisaje – Arte Correo – Venezuela 2011.
    ·         Cinema City Classic Alvalade “Exposição Apartis de Desenho,Pintura e Fotografia” em Lisboa 2011.
     ·         Participa no trabalho colectivo do Apartis de técnica-mista com fotografia na “Industrie et Culture”(Mail Art) Bélgica 2011.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

“MAIL ART - Proposta Criativa” - por Pais Garcia


      A Arte Postal começa com Ray Johnson na década de 50, sendo uma tendência artística que se movimenta através da feitura de desenhos, pinturas, colagens, fotografias com preocupação estética, mas liberta de quaisqueres pretenciosismos relacionados com correntes ou normas comerciais das galerias de arte vigentes, exercendo no entanto, funções de informação, protesto e até de denúncia. Quase sempre em pequeno formato (tamanho postal), onde se organizam exposições específicas de Arte Postal/Mail Art, importantes certames nacionais como internacionais, que se realizam um pouco por todo o mundo, permitindo-se deste modo uma maior circulação destes trabalhos artísticos estabelecendo-se de imediato uma troca de experiências inesgotáveis, cujos temas dos mais diversos proporcionam um intercâmbio cultural riquíssimo.
      Muitos Dadaístas, Futuristas e Surrealistas aderiram à Arte Postal como proposta criativa. Nomes como Marcel Duchamp, Francis Picabia, Henri Matisse e até o próprio Pablo Picasso as realizaram temporáriamente.
      Em Portugal já à largos anos se tem desenvolvido importantes certames, sendo de destacar o grupo ARTEVER da Amadora, que organizou algumas mostras com bastante êxito.
      Actualmente com a utilização da Internet estes eventos surgem com maior divulgação em quase todos os países do mundo, havendo até diversos historiadores da Universidade Federal de Pernambuco no Brasil interessados em estudar esta expressão artística com bastante entusiasmo já desde 2007.
      São já referência na Mail Art internacional nomes como Keyla Holmquist, Constança Lucas, Gada de Guivry, Isabelle Vannobel Ceravolo, Bettina Alcántara, Bruno Pollacci, Claudia Ligorria, Clemente Padin, John M. Bennett, Hilda Paz, Eliso Ignacio Silva, Pascal Minart, Monica Vallejo, Domenico Severino, Helder Coelho Dias, Joaquim Lourenço, Ana Spînu entre outros.
      A Mail Art é seguramente uma proposta criativa aparte e sem “ismos” com cada vez mais adeptos em todo o Planeta.

Nota: Este artigo é da responsabilidade do autor. (Agora actualizado)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

APARTIS - Membro do IUOMA (International Union Of Mail Artists)

O Apartis - Movimento Multicultural de Artistas já nos finais deste Julho que agora acabou,torna-se membro do IUOMA - International Union of Mail Artists. O que poderá permitir uma maior participação em projectos do género.

domingo, 24 de julho de 2011

BRUNO ALVES

Bruno Alves

Nasce em Lisboa em 1974. Possui o 12º Ano e desde cedo que se interessou pela Fotografia e pela Informática. Entra para o Apartis – Movimento Multicultural de Artistas em meados de 2010.

Participou nas seguintes exposições:

·         Junta de Freguesia de S.Francisco no “1ºSalão de Artes Plásticas de Outono”S.Francisco – Alcochete         2010.
·         Museu Etnográfico de Canha “Canha D’Artes” em Canha 2010.
·         Junta de Freguesia de S.Francisco “Enlaces” Apartis/Cercima,S.Francisco – Alcochete 2010.
·         Cinema City Classic Alvalade “Exposição Apartis de Desenho,Pintura e Fotografia” em Lisboa 2011.
·         Participa no trabalho colectivo do Apartis de técnica-mista com fotografia na “Industrie et Culture”(Mail Art) Bélgica 2011.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

“Arquitectura é Arte!” - por Sofia Garcia, arq.

Sem dúvida que a arquitectura é mais uma arte, no meio de tantas formas de arte. Mas convém elucidar os demais, que a arquitectura é uma arte aliada às questões puramente técnicas. Estas questões vão desde os conhecimentos técnicos de construção até ao conhecimento das normas e disposições legais. Esta parte não é arte, é puro conhecimento e aplicação prática.
No entanto, a concepção dos espaços na arquitectura apresenta-se como a primeira fase, a fase da vertente artística. É aquela onde o arquitecto exprime as suas ideias, as suas noções de arte e os seus sentimentos. Começa por sentir o espaço onde vai intervir, podendo ser um vazio, como um espaço já existente, e delineia, nos seus esquiços ou papéis, as primeiras linhas do seu pensamento, orientadoras de todo o processo que se seguirá.
O arquitecto é, mais que tudo, uma pessoa sensitiva e emotiva. Precisa de se deslocar ao local do seu objecto e sentir aquilo que o lugar lhe transmite. Depois conjuga os seus sentimentos do lugar com o programa do projecto. Neste ponto, os desenhos, como forma de arte, começam a fluir e conduzem a formas verdadeiramente artísticas.
Depois, a técnica permite à arquitectura interligar a forma e a função, criando espaços com utilidade, cumprindo-se o pretendido. A arte surge novamente quando o resultado final de todo o processo se apresenta. Já ultrapassadas as suas ligações à técnica, o resultado final surge na forma de espaços onde nos sentimos de algum modo. Essas sensações criadas pelo arquitecto, e sentidas pelo utilizador do espaço, são o objectivo da arte de arquitectura. Quando um arquitecto consegue um resultado de sensações, a sua obra foi conseguida.
São necessárias mais criações desta natureza! Todos nós necessitamos disso…nas nossas casas, nos nossos locais de trabalho, nas nossas escolas e nas nossas cidades….
Viva a Arte!
Vivas a todo o arquitecto que não se esquece da arte nas suas concepções, pois é ela que lhes dá sentido!


Nota: Este artigo, é da responasabilidade do autor.


segunda-feira, 4 de julho de 2011

2º ANIVERSÁRIO DO APARTIS

Hoje, 4 de Julho de 2011 comemora-se o 2º Aniversário do APARTIS - Movimento Multicultural de Artistas. Dois anos de trabalho, cuja avaliação desejamos que seja feita por todos quantos nos seguem e já conhecem o nosso percurso.
Com o desejo de continuação, procuramos apresentar um trabalho marcadamente colectivo e essencialmente desprovido de pretenciosismos de qualquer um dos seus membros.
Somos APARTIS!

sábado, 25 de junho de 2011

MARTA ÁGUEDA PIRES

Marta Águeda Pires

Nasceu em Dezembro de 1988, em Lisboa. Possui o 12º ano de Artes pela Escola Secundária Camões (antiga Escola António Arroio). É autodidacta e desde cedo, manifestou interesse pela fotografia, facto que se vem confirmando dia após dia, numa busca incessante de novos conhecimentos.
Entra para o Apartis – Movimento Multicultural de Artistas em finais de 2010.
Participou nas seguintes Exposições:
·         Junta de Freguesia de S.Francisco no “1ºSalão de Artes Plásticas de Outono”S.Francisco – Alcochete 2010.
·         Museu Etnográfico de Canha “Canha D’Artes” em Canha 2010.
·         Junta de Freguesia de S.Francisco “Enlaces” Apartis/Cercima,S.Francisco – Alcochete 2010.
·         Cinema City Classic Alvalade “Exposição Apartis de Desenho,Pintura e Fotografia” em Lisboa 2011.
·         Participa no trabalho colectivo do Apartis de técnica-mista com fotografia na “Industrie et Culture”(Mail Art) Bélgica 2011.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

MAIL FOR OTTO BISMARCK - MUSEUM OBERE SALINE MIT BISMARCK-MUSEUM (ALEMANHA)

Esta Exposição está a decorrer de 1 de Junho a 18 de Setembro 2011. Portugal está representado com 5 Artistas: Eduardo Cardoso, Isabel Pereira, José Manuel Figueiredo e 2 Membros do Apartis – Teresa Maia e Pais Garcia.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

“Performance / Versus / Instalação” - por Manuel Corceiro

Trata-se de um critério ligado à denominação destas duas expressões artísticas, que fogem dos parâmetros tradicionais da representação plástica e que  são diferentes entre si. 
Penso que a Instalação está mais ligada ao objecto material, isto é, a um espaço habitado por objectos.
Os processos de instalação são por isso objectualistas (objectos) e encenáticos (criam uma cena), esta ocupação do espaço pode  criar aspectos lúdicos destinados ao espectador/público, o qual é confrontado com a apropriação do espaço numa diálectica entre o que parece e o que não aparece num vasto campo de dicotomias, relacionadas com a denotação e conotação do(s) objecto(s).
Daí que a Instalação viva do objecto em si integrado num espaço (interior ou exterior), substituindo-se á linguagem plástica tradicional e á representação ìconográfica a que pertence a Pintura própriamente dita. A Instalação concentra um campo de ideias, vive para além dos códigos visuais e dissipa-se na sua própria finitude, que é a de ser efémure. Na Instalação a exploração expressiva está ligada á percepção do espaço envolvendo o objecto circundante. A Instalação pode-se dizer que é uma assimilação da Arquitectura e do Design.
A Performance, é uma expressão que se caracteriza também por habitar um espaço e ser  efémure, a diferença é que na Performance existe a intervenção directa do artista ou de um personagem, onde o gesto ou a mímica são os elementos de expressão, (situa-se quase como uma charneira de indole teatral, todavia; é autonoma em relação á representação dramaturga) os quais podem envolver ou não o espectador /público na acção. A Performance está mais relacionada com a acção e o movimento dos corpos;  (daí a expressão: " tem performance" quando nos referimos a um bom passo de dança ou ballet, ou a um movimento mais audaz no desporto; por exemplo). Portanto a performance envolve a presença física de alguém,e relaciona-se com o espaço (aberto ou fechado) cuja comunicação se baseia na acção (que pode ser gestual, oral, mímica, etc).
Pois a Performance é uma derivação dos "Happenings" e da "Bodyart"dos anos 60 cujas correntes artísticas se enquadram na nomenclatura dos movimentos artísticos desta època e que ficou denominada Arte Conceptual.

Nota: Este artigo é da responsabilidade do autor.

domingo, 29 de maio de 2011

MATEUS BELEZA

Mateus Beleza

Nasce em Lisboa. Possui o Curso Geral de Artes Visuais (Gráficos) da então Escola de Artes Decorativas António Arroio em Lisboa. Possui um Curso de Máscaras Venezianas obtido no Atelier-Mondo Novo Maschere di Giano Lovato em Dorsoduro Veneza-Itália pelo grande mestre Guerrino Giano Lovato em 2001. Juntamente com outros artistas-plásticos funda o Apartis-Movimento Multicultural de Artistas em Lisboa Julho de 2009. Actualmente vive e trabalha em Lisboa e em Marbella-Espanha, participando em numerosos eventos culturais quer individuais, quer colectivos.

A sua obra encontra-se representada em diversas colecções particulares: Lisboa, Paris, Bóston,Zurique,Marbella, Dusseldorf e Johannesburgo. Citado no livro “Artistas portugueses e seu mercado” de Narciso Martins,Adrian Publishers, 1ª edição, 1993.
      Em paralelo com as artes-plásticas tem desenvolvido actividade como Pesquisador de Sons mantendo uma estreita colaboração com o músico Paulo de Miranda já há vários anos. Em 2005 realizou  uma edição privada  de dois CDs de sons alternativos electrónicos ,registados na S.P.A.,misturados com sons étnicos.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

“Os pintores Latino-Americanos” - por Pais Garcia

        Ao falarmos da arte da América Latina, não podemos deixar de lembrar as populações indígenas das antigas civilizações, a sua arte que produziram marcando a sua cultura diferenciada consoante os seus territórios e divisões próprias onde habitavam, até à época das colonizações e suas respectivas influências que a elas lhes estão ligadas.
        As diferentes colónias de Espanha, Portugal e França, que aí se estabeleceram nessas áreas, provocaram fortes alterações de ordem política e cultural de extrema relevância, que no decorrer de todo o seu percurso histórico, irão mais tarde, manifestar e fomentar as lutas independentistas das nações latino-americanas, cujo Simão Bolívar foi o grande impulsionador.
        Ao tornarem-se nações livres do jugo colonialista, a arte de cada um destes estados irá caracterizar-se através dos vários percursos que se acentuaram até aos dias de hoje, de acordo com as influências ou originalidades de cada artista, mediante as múltiplas experiências que estes vão adquirindo dentro e fora das suas fronteiras ao longo de todos estes anos.
        Assim sendo lembramos aqui, sempre ao jeito de homenagem os artistas latino-americanos: da Argentina os pintores Prilidiano Pueyrredón, Antonio Berni, Omar Panosetti e Claudio Tomassini; da Bolívia os pintores Miguel Alandia Pantoja e Raúl Lara Torrez; do Brasil os pintores Di Cavalcanti, Cândido Portinari, Manelaw Sete, Rose Gob e Salomão Zalcbergas; do Chile os pintores Pedro Lira, Gonzalo Cienfuegos, Roy Evans Miranda e Jorge Adaros; da Colômbia os pintores David Manzur e Fernando Botero; da Costa Rica, os pintores Francisco Zúñiga e Marijose Terán; de Cuba os pintores Wilfredo Lam, Mario Carreño e Vivian Ivet Hernandez Ruiz; de El Salvador os pintores Camilo Minero, Mário Salvador Sánchez; do Equador os pintores Eduardo Kingman e María Verónica Léon; da Guatemala o pintor Elmar Rojas; das Honduras os pintores Armando Lara e Ana Isabel Acosta; do México os pintores José Orozco, David Alfaro Siqueiros, Diego Rivera, Frida Kahlo, Rufino Tamayo, Angelica Yolpaqui e Asael Ortega; da Nicarágua o pintor Armando Morales; do Panamá o pintor Juan Manuel Cedeño; do  Paraguai o pintor Andrés Guevara; do Peru os pintores Rolando Tamani, Tilsa Tsuchiya, Orlando Zegarra Garcia, David Rosas Berrios e Tatiana Coaguila Yañez; de  Porto-Rico o pintor Méndez Robles; da  República Dominicana o pintor Elias Peña; do Uruguai as pintoras Anna Rank e Adriana Musetti; da Venezuela os pintores Arturo Michelena, Armando Reverón, Pedro León Zapata, Argenis Aranguren, Keila Holmquist e Alejandro Nava. Todos eles, entre tantos outros, pela sua enorme qualidade, pelo que traduzem, pela sua mensagem que cada um nos legou e que os mais recentes persistem em nos deixar, lembrando-nos que a Arte da América Latina é também para se olhar e valorizar dentro de toda a cultura universal.

Nota: Este artigo é da responsabilidade do autor.

sábado, 30 de abril de 2011

PAULA CRUZ

Paula Cruz

Paula Maria da Cruz Rodrigues nasceu em Lisboa a 6 de Março de 1966 e reside em Caneças. Formação: Curso de Artes e Técnicas Gráficas da Escola António Arroio; Licenciatura Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, com as tecnológicas nível I Fotografia e nível III Cerâmica. Trabalhou em montagem offset, ilustração, artes finais e fotografia de planos. No campo das artes plásticas colaborou com o designer Paulo Goulão na pintura decorativa de murais interiores no espaço EXPO 98, e com o fotógrafo Luís Miguel Viana Cunha na fotografia de volumes em trabalho de estúdio. Em 2009, juntamente com outros Artistas funda o APARTIS - Movimento Multicultural de Artistas.EXPOSIÇÕES COLECTIVAS: Câmara Municipal de Loures, Loures, 1988; Colectiva de Fotografia, Liceu Padre António Vieira, Lisboa, 1989; Colectiva de artes plásticas da MONFORFEIRA 2002, “TOIROS E CAVALOS”, II Festa do Toiro, Monforte, 2002; “Quintanistas Ponto Final”, Salão da Primavera, Galeria do Casino Estoril, Estoril, 2008; “Finalistas Pintura 2007’08”, Galeria Palácio Galveias, Lisboa, 2009; "XVI Galeria Aberta, Colectiva de Artes Plásticas", Galeria do Desassossego, Beja, 2009; "15ª Exposição Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas", Vendas Novas, 2009; "II Exposición Internacional de Arte Contemporáneo", Galeria de Arte Sala-Taller María Nieves Martín, Villafranca de los Barros, Badajoz, Extremadura, España, 2010. EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS: “TAUROMAQUIA”, Cabana dos Parodiantes, festas da Vila de Salvaterra de Magos, Salvaterra de Magos, 2003; “Blues Night – Homenagem a Paulo Gonzo”, Cabana dos Parodiantes, Salvaterra de Magos, 2008; "Blues Night - Um Olhar a Preto e Branco", Centro de Documentação, Câmara Municipal de Lisboa, Lisboa, 2009. PRÉMIOS: Menção Honrosa 1os Jogos Florais de Caneças, primeiro prémio em pintura exequo com o pintor Ricardo Paula, 1988. No âmbito da música, iniciou os seus estudos na Escola de Música da S. M. D. Caneças onde foi elemento da banda de música com sax-alto, clarinete, requinta e solista em sax-soprano. Foi aluna do seu avô materno, o maestro António Oliveira da Cruz (Beira Alta), e de Aniceto José Ribeiro Alves, 1.º Sargento-músico e 1.º clarinete da Banda da Armada. Fez parte das bandas de música da Sociedade Comércio e Indústria da Amadora, e Sociedade Filarmónica Recreio Artístico da Amadora. Participou em diversos concertos em Espanha e Portugal, actuou com o grupo Albatroz, José Mário Branco no Coliseu dos Recreios em Lisboa, na Aula Magna com Maria do Céu Guerra e José Fanha. Actualmente integra a banda do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, ao mesmo tempo que participa em actuações a solo como performer com saxofone alto, em eventos de artes-plásticas, mantendo o paralelismo entre o exercício da música e a representação pictórica do Jazz.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

“Os Artistas Dentro e Fora da Associação” - por Pais Garcia

      Seguindo a linha do anterior artigo em que se abordou a questão do artista nas suas diversas formas de expressão, cuja criatividade é quase sempre resultante de largos momentos de solidão. Sabemos que esse mesmo indivíduo é capaz de se juntar a outros, formando grupos, clubes, associações de artistas com ou sem aspectos jurídicos, unidos pelos mesmos ideais com objectivos comuns, que no fundo, procuram uma melhor forma de se ajudar mutuamente e sobretudo mostrar o seu trabalho vencendo muitas vezes a resistência de determinadas galerias que só olham quase exclusivamente aos interesses comerciais.
      Entre muitos grupos e associações que existem que nos vão dando a oportunidade de vermos o seu trabalho, evidencia-se aqui o empenho já demonstrado ao longo dos anos de três associações de artistas, cuja qualidade das obras dos seus membros associados devemos realçar: A  ARCOARTIS-Associação de Artistas plásticos através dos seus artistas: Ana Marques, António Neves, Fernando Colaço, Isabel Fernandes, José Augusto Coelho, José Homem de Melo, Luis Branco Fernandes, Luis Fernandes, Luis Vieira, Kitchéu e Victor Lages; O  ARTEVER-Associação de Artes Plásticas da Amadora através dos seus artistas: Corceiro, Eduardo Abrantes, Henrique Faria, Joaquim Lourenço, João Silva, José Mourão, Maria Garnel, Maria Soares, Marina dos Santos, Marta Pitchel, Piedade Pina e Susana Mourão; O  GART-Grupo de Artistas e Amigos da Arte (associação) a) de Vila Franca de Xira através dos seus artistas: Ana Malta, António Anacleto, António Martinho, Arlindo Mateus, Arménio Ferreira, Constantino Agostinho, Cristina Alves, Ellisilva, Emília Rosa, Ernesto Rodrigues, Etelvino Kosta, Fátima Serrador, Helder Alegria, Hermínia Mesquita, Isa Fonseca, Jorge Alexandre, José Guilherme, José Luis Coelho, Laura Conde, Malu, Maria Fernanda D’Alhandra, Maria Luisa Peixe, Mª Manuela Nogueira da Silva, Mário Casimiro, Micéu, Mizé Cunha, Nina Ponces, Noel Bértholo, Paula Teresa, Rodrigo Sepúlveda, Rosita, Rosália Valente, Sãozinha Batista, Tavares do Vale e os fotógrafos Ana Serra, Francisco Serra, Pedro Batalha e Sónia Coelho.
      Contudo, não podemos deixar de assinalar o nome de outros artistas, que pela força das diferentes circunstâncias, seguiram o seu trajecto com carreiras mais individualizadas ou em alguns casos momentâneamente ligados a outros projectos culturais, cuja obra realizada de estilos tão diversos com mais ou menos ênfase se evidencia pela crescente qualidade apresentada, resultante evolutiva que só o trabalho e o tempo lhes pode dar. São eles, entre outros: Aleksandr Mihaltchuk à muito radicado em Portugal, Alfredo Luz, Carlos Eirão, Céu Campos, Cristina Maldonado, Elisabete Libório da Silva, Elisabete Teixeira Lopes, Fernando Ponhá, Francisco Ferro, Heitor Pais, José Dominguez, José Narciso, Luisfernando Graça, Mateus Beleza, Margarida Cepêda, Miguel d’Hera, Paula Cruz, Paulo Violante, Romarina Passos, Teresa Joaquina, Teresa Maia e Ana Lopes Fernandes na sua jovem carreira artística de quem muito se vislumbra, os escultores António Delgado, Aureliano de Aguiar, Clara Ribeiro, Gil Simões à muito a residir no México, Jorge Melício e José Teixeira a residir na cidade de Valpaços em Trás-os Montes e a fotógrafa Gigi Melo Valente pela grande qualidade das suas fotografias. Sobretudo pela coragem de resistir ao longo dos anos, não desistindo do sonho que um dia os motivou a enveredar pelo caminho da arte, concluindo-se desde já, que a obra de todos eles é já de si um belo e rico património artístico nacional, que se quer e espera reconhecido dentro desta sociedade que nos é possível e que todos nos esforçamos por ter.
      São 90 artistas, entre outros, a que devemos estar atentos na surpresa da sua criatividade, independentemente dos seus estilos estéticos ou formas diferenciadas de estar na vida.
______________________________
a)      Referência extraída do catálogo da Exposição do GART no Celeiro Patriarcal em Vila Franca de Xira,Setembro de 2009.

Nota: Este texto é da responsabilidade do autor.

terça-feira, 22 de março de 2011

ANTÓNIO PAULINO

António Paulino

António da Costa Colaço Paulino, nasce em Beja, a 21 de Abril de 1948, parte para Lisboa em 1965, onde inicia a sua actividade profissional numa empresa multinacional na área de elevadores, onde ainda hoje se encontra a laborar como técnico. Estuda nas Escolas Veiga Beirão e Eugénio dos Santos.
Em 1969 parte para Angola onde permanece durante mais ou menos dois anos da sua vida.
Em 2009, juntamente com amigos, Artistas Plásticos do APARTIS – Movimento Multicultural de Artistas, torna-se membro do grupo, exercendo várias actividades incluíndo a de Secretário/Assistente.

quinta-feira, 17 de março de 2011

"O Artista" - por Pais Garcia

Se considerarmos que até 1762 todo aquele que exercia algum tipo de arte era considerado artífice é a partir desta data que o termo de artista ganha mais ênfase, mais proeminência e assim este qualificativo se irá aplicar com muita justiça, diga-se, aos escultores, aos pintores, aos arquitectos, aos músicos, aos poetas, aos ficcionistas, aos actores, aos bailarinos, mais tarde também, aos fotógrafos. O artista, é portanto, o criador do belo, muitas vezes profético, inovador responsável por mudanças estéticas e até do pensamento. O artista é algo de superior, alguns em especial com características únicas, com uma áurea inegualável cuja obra que deixam, marcam um estilo, uma época que em muitos casos perdura de geração em geração de observadores atentos a todo este fenómeno maravilhoso que é a arte e tudo o que se lhe relaciona.       
   Entre muitos e muito bons, salientam-se aqui em especial e em jeito de homenagem os escultores Miguel Ângelo, Gian Lorenzo Bernini e Camille Claudel; os pintores Giotto, Caravaggio e Pablo Picasso; os arquitectos Bramante, Antoni Gaudí e Le Corbusier; os músicos Beethoven, Chopin e Paganini; os poetas Dante Alighieri, Luís de Camões e Pablo Neruda; os ficcionistas Leão Tolstoi, Eça de Queirós e Rómulo Gallegos; os actores Charles Chaplin, Buster Keaton e Steve Mc Queen; os bailarinos Vaslav Nijinski, Rudolf Nureyev e Mikhail Baryshnikov; os fotógrafos Félix Nadar, Willy Ronnie e Conrad L. Hall.
     Sem eles, toda a nossa vida seria por certo mais desconfortável, chata e assumidamente demasiado triste.


     Este texto é da responsabilidade do autor.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

ANA LOPES FERNANDES

Ana Lopes Fernandes

Nasce em Lisboa a 21 de Agosto de 1971. Possui a Licenciatura em Educação de Infância pela Escola Superior de Educação Jean Piaget de Almada concluida em 2003. Iniciou a sua actividade docente em 2003 em Rio de Mouro, Lisboa e actualmente a exercer em Ponta Delgada – Açores.

Começa a pintar em 2003. Juntamente com outros artistas-plásticos funda o Apartis – Movimento Multicultural de Artistas, em Lisboa Julho de 2009.
Participou nas seguintes exposições colectivas: Externato Paula Vicente, Lisboa 2009; Espaço/Galeria Restaurante 7 à Mesa “7 Artistas 7 Olhares”, Lisboa 2009; I Exposição Apartis – Exposição/Instalação Itenerante em Lisboa, Sacavém e Póvoa de Santa Iria 2009;  Apartis - “A Palavra Pintada Com Música” , Lisboa 2010.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Ao reestruturar-se o Apartis e consequentemente com a criação deste blog, pretende-se desde já recomeçar a publicação de artigos culturais, procurando dar uma continuidade regular de preferência mensal, como começou por ser hábito, onde o principal objectivo é informar, publicitar todas as realizações ou participações que o grupo irá concretizar, assim como, a divulgação dos seus membros nas suas actividades quer colectivas ou individuais que realizarem fora do grupo.
Começando por reeditar-se alguns dos textos anteriormente publicados no anterior blog do Apartis e contando-se desde já com a continuidade dos artigos dos nossos colaboradores que gentilmente se associam a nós.

"A Arte" - por Pais Garcia


Já muito se escreveu, se escreve e se irá escrever sobre o fenómeno da arte – o seu
significado e as diferentes teorias.

Schopenhauer diz-nos que as artes pretendem igualar-se à categoria/condição da música. Seja como for e independentemente se concordarmos ou não com as diferentes teorias e pontos de vista de quem quer que seja, o certo é que todas elas, umas mais que outras, vieram enriquecer toda esta fenomenologia que compreende a arte e tudo o que se lhe relaciona.
No entanto poder-se –á dizer que a Arte afirma-se sempre como uma expressão de qualquer ideal que os artistas possam executar em forma plástica. As noções do belo (daquilo que dá prazer) deixar-se-á ao critério de cada um consoante a sua sensível percepção individual.
Com este princípio lembramos e homenageamos aqui todos estes teóricos e o seu pensamento histórico que ao longo dos tempos nos ensinaram e ensinam uma melhor compreensão sobre a arte.
Entre outros: Platão, Aristóteles, Plotino, Cennino Cennini, Alberti, Leonardo da Vinci, Albrecht Durer, Giorgio Vasari, Nicolas Poussin, Roger de Piles, Winckelmann, Mengs, Denis Diderot, Eugene Delacroix, Charles Baudelaire, John Ruskin, Kant, Friedrich Schlegel, Friedrich W. Schelling, Hegel, Schopenhauer, Nietzsche, Heidegger, Panofsky, Sigmund Freud, Jacques Lacan, Merleau-Ponty, Pierre Francastel, Hubert Damisch, Meyer Schapiro, Clement Greenberg, Sir Ernst Gombrich, André Malraux, Herbert Read, Jean Luc Chalumeau e Arnold Hauser.
Sem eles, a arte teria seguido inevitavelmente o seu curso, mas é através deles, das suas análises, que hoje se compreende melhor esta relação do homem com a arte e no muito que ainda há-de vir.

  Este texto é da responsabilidade do autor.